METALIKA: A importância da porta corta-fogo em prédios e condomínios

/Local/assaabloyCOMBR/Metalika/metalika-a-importancia-da-porta-corta-fogo-em-predios-e-condominios-fabricante-online.JPG

A segurança é indispensável para a prevenção de acidentes, especialmente quando trata-se de incêndios. A porta corta fogo, comum em condomínios e prédios, é um item substancial de proteção, pois possui a capacidade de deter o fogo e o calor, em caso de incêndios em edifícios. A porta corta fogo foi pensada para impedir a propagação das chamas para outros andares e facilitar a fuga de pessoas.

A porta corta fogo em prédios e condomínios é de fundamental importância, pois é item obrigatório. Em primeiro lugar é preciso que todos os condomínios tenham o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros). 

A porta corta fogo é um item de segurança tanto quanto os extintores de incêndio. Para isso, elas precisam ter certificação, que é o selo ABNT 11742.

 

A obrigatoriedade da Porta Corta Fogo para segurança

 As portas contra incêndio são utilizadas em prédios desde a década de 1970, mas a obrigatoriedade de sua instalação veio somente no ano de 1983, para edifícios com mais de quatro andares. Um prédio só consegue obter a certificação de funcionamento do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) se, em sua estrutura, forem utilizadas portas corta fogo. O modelo e a quantidade dependem do tamanho do condomínio ou prédio. Além da porta corta fogo em si, o batente e o portal também são fabricados com o mesmo material resistente à passagem do fogo. 

 

Antes de adquirir uma porta corta fogo, é necessário se atentar para suas qualidades e especificações. Isso porque há empresas não regulamentadas que comercializam esse tipo de serviço sem se atentar para as regras exigidas. Elas oferecem um serviço mais barato, mas, em contrapartida, não há garantia de funcionalidade, resistência e eficácia em caso de incêndio.  

 

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) estabelece regras para a fabricação do item. A porta corta fogo, fabricada conforme essas normas, recebe o selo ABNT 11742 e passa por testes de conformidade. Esse selo garante ao comprador que a porta está em plenas condições de funcionamento, em eixo vertical para a saída de emergência. Sua produção pode ser feita em aço, vermiculita, fibra cerâmica, madeira e vidro.  

 

A fechadura deve acompanhar a resistência da porta corta fogo, portanto, ela deve ser produzida com um material especial e pode apresentar a forma convencional ou seguir modelos com e sem chave, ou de embutir. A porta contra incêndio pode incluir molas, dobradiças e dispositivos automáticos para sua abertura e fechamento, assim como mecanismos de travamento. A porta corta fogo pode ter visor, mas é necessário que seja de vidro aramado transparente, com 6,5mm de espessura e tamanho máximo de 0,5m². 

 

É importante que sejam estabelecidas regras no condomínio ou prédio para o bom funcionamento da porta corta fogo. Objetos de obstrução não devem permanecer próximos e esta deve estar sempre fechada para que, em caso de incêndio, sua eficácia seja garantida. 

Manutenção necessária em portas corta fogo

Com o uso constante, se faz necessária uma manutenção em suas molas, pelo menos, a cada três meses. É importante frisar que parafusos e pregos não podem ser fixados na porta corta fogo, pois podem danificar a sua função primordial. Outras vistorias, referentes à funcionalidade da parte automática e do desempenho das dobradiças, e uma limpeza de todas as peças devem ocorrer uma vez ao mês.   

 

A cada seis meses é indicada uma lubrificação de todas as partes móveis da porta corta fogo. No quesito higienização, o piso ao redor não pode ser lavado com produtos químicos, que podem ser agressivos à pintura e ao aço. Na porta, deve-se somente passar um pano úmido e, em seguida, secá-la. 

 

Caso seja verificado algum dano ao item é necessário realizar uma substituição da peça danificada. Para que o procedimento seja feito de forma segura deve-se contatar a empresa instaladora ou uma especializada no assunto. 

 

Enfatiza-se a necessidade de estar atento à procedência da porta corta fogo, para evitar possíveis problemas. Investir em uma porta fabricada por uma empresa que possui todas as certificações pode garantir a segurança dos moradores no futuro.

 

Porta Corta Fogo em Prédios e Condomínios: o mau uso

porta corta fogo

Um ponto importante a ser ressaltado em portas corta fogo para prédios e condomínios é a questão do uso da mesma pelos moradores, visitantes e funcionários. 

Existem histórias de que o condomínio decidiu trancar uma porta corta fogo do andar. Nesses casos, se houver incêndio há um grave risco, pois não há como fazer com que as pessoas saiam do local com segurança. Por isso é muito importante seguir as boas práticas de uso de porta corta fogo.

Outro caso bastante comuns também é referente à porta corta fogo de coberturas. Muitos moradores deste andar também trancam esta porta em, com isso, há comprimetimento de saída segura em casos de incêndio.

Uso correto de Portas Corta Fogo em Prédios e Condomínios

porta corta fogo

A porta corta fogo de prédios e condomínios precism ficar fechada e livre. Assim as pessoas poderão sair de um local sem tropeçar em nenhum objeto e sem dificuldades.

Além disso, recomenda-se que haja votação em assembleia para que a porta corta fogo fique destrancada e fechada (sem trancar). É possível multar quem não seguir a regra. 

A única porta corta-fogo que se recomenda manter trancada é a de gerador e bomba, para que fique fora do alcance das pessoas e das crianças.

Conte com porta corta fogo da Metalika. Acesse aqui e solicite um orçamento.