O uso da Porta Corta-Fogo em Hospitais

A Porta Corta-Fogo em Hospitais é de suma importância, pois faz com que a segurança nestes locais seja maior em caso de incêndio. Para isso, é preciso adotar diversas medidas de cautela e prevenção, além de procedimentos padrões em situações de perigo.

Como os incêndios são sempre um risco a se considerar, as portas corta-fogo são uma das medidas de segurança passiva mais importantes em hospitais.

Assim como qualquer local com fluxo intenso de pessoas, os hospitais estão sujeitos a acidentes. É fundamental o conhecimento dos procedimentos contra incêndio e é preciso que esses locais adotem as medidas de segurança estabelecidas em normas e em instruções de trabalho do Corpo de Bombeiros, visando à proteção de funcionários, pacientes, toda a comunidade local e patrimônio.

Entre essas medidas, podemos citar as sinalizações, acesso facilitado às escadas e rampas, saídas de emergência e as Portas Corta-Fogo. Essa última é obrigatória nos edifícios de mais de quatro andares desde 1983, além de também ser exigida em centros comerciais, escolas, escritórios, hospitais, entre outros.

A importância da Porta Corta-Fogo em Hospitais

As Portas Corta-Fogo em Hospitais são importantes porque são projetadas justamente para diminuir a velocidade com que o fogo se espalha por um edifício ou outro tipo de construção. Dessa forma, as pessoas terão mais tempo para evacuarem o local em segurança.

Além de retardarem a propagação do incêndio, essas portas reduzem o alastramento da fumaça de um ambiente para o outro, algo muito importante, já que a fumaça também é muito perigosa, assim como o fogo.

A eficiência das Portas Corta-Fogo é essencial à proteção das pessoas, pois elas também garantem a capacidade de evacuação do local com sistemas de abertura acessíveis e práticos e fechamento automático que garantirá a compartimentação da área atingida para a área de escape.

Como escolher a Porta Corta-Fogo ideal para cada local?

As Portas Corta-Fogo se diferem por seu nível de resistência ao incêndio, por esse motivo, é preciso levar em consideração o local onde ela será colocada, associando isso a sua capacidade de resistência ao fogo.

Portas dentro das normas técnicas são classificadas de acordo com seu tempo mínimo de proteção (30, 60, 90 e 120 minutos). Quem especifica o tempo ideal de cada porta na construção é o projeto de incêndio do Corpo de Bombeiros, que deve ser seguido à risca pelas construtoras, fabricantes e instaladores. Essa adequação ao projeto leva à aprovação do AVCB da obra.

Outros pontos importantes também devem ser considerados para aquisição de uma Porta Corta Fogo, como por exemplo:

  • Se a empresa fabricante fornece as ferragens de acordo com as normas para que a porta execute com perfeição sua proposta de conter o fogo. Dobradiças com retorno mola são obrigatórias e têm função primordial para o correto fechamento da porta em situação de emergência. Uma fresta pode permitir a passagem do fogo e comprometer toda a função do produto. A correta instalação e regulagem das dobradiças também são fundamentais para o funcionamento do conjunto.

  • Fechadura e barras com função antipânico também são obrigatórios pois garantem a evacuação das pessoas do local. Sem esses itens a função de ser uma saída de emergência não acontece e o produto também perde sua validade.

  • O acabamento da porta (pintura) também ajuda a manter a porta longe da ação de oxidação por mais tempo aumentando a vida útil da mesma.

Todos os pontos acima devem ser considerados no momento da escolha da porta ideal.

Por que a Porta Corta-Fogo precisa ser certificada?

As Portas Corta-Fogo devem seguir rígidos padrões de qualidade e ser garantidas por lei, através da certificação ABNT NBR 11742/2018. As portas corta-fogo certificadas seguem todas as determinações específicas e para serem comercializadas no país, além de qualificadas pelo selo da certificadora, precisam passar por testes de conformidade, realizadas por laboratórios credenciados pelo INMETRO.

As obrigações estabelecidas para a Porta Corta-Fogo dizem respeito a sua classificação, fabricação, identificação, inspeção, conteúdo do manual técnico, locais e forma de instalação, funcionamento, manutenção e até mesmo atendimento ao cliente, entre outros elementos.

É obrigatório que a porta carregue uma placa onde deverá estar escrito em letras maiúsculas “PORTA CORTA-FOGO” e uma indicação do sentido da rota de fuga.

Possuir a certificação é fundamental porque dessa forma a porta terá garantias do seu melhor funcionamento e que foi fabricado de acordo com as práticas mínimas de qualidade.

Por se tratar de um elemento tão importante para a segurança dos hospitais, é indispensável que a porta corta-fogo seja certificada. No momento em que precise ser acionada, ela tenha o desempenho esperado, que irá garantir maior segurança às pessoas e ao patrimônio.

Modelos de Porta Corta-Fogo para Hospitais

As Portas Corta-Fogo podem ser encontradas em uma grande diversidade de modelos, com projetos e acabamentos diferentes.

Para que permaneça dentro da certificação, essas portas devem ser vendidas como um jogo completo, o que inclui os batentes corta-fogo (também especificados na NBR 11742/2018) e as ferragens essenciais, responsáveis por manter a porta completamente vedada diante de um incêndio.

Cuidado na instalação da Porta Corta-Fogo para Hospital

Por ser tão importante na estrutura dos hospitais, a Porta Corta-Fogo precisa ser instalada de forma correta, para que sua funcionalidade seja garantida. As instruções de instalação são fornecidas pelo fabricante e devem ser rigorosamente atendidas.

Após a instalação, é preciso verificar se todos os componentes da porta estão funcionando corretamente, inclusive as dobradiças, barra antipânico ou fechaduras.

Para garantir ainda mais a segurança nos hospitais contra os incêndios é fundamental que sejam realizados treinamentos regulares nesses locais, orientando sobre como se deve proceder em situações como essa.

Como você viu, as Portas Corta-Fogo são um componente de segurança que não pode em hipótese alguma faltar nos hospitais e em nenhum local amplo com grande fluxo de pessoas. E tão importante quanto possui-las, é ter a certeza de que elas receberam a certificação que ajudam seu perfeito funcionamento.

A segurança nesses lugares é primordial e além de ser fundamental evitar que os incêndios ocorram, adotar medidas que impeçam o alastramento do fogo e da fumaça, caso ele aconteça, é garantir que vidas sejam salvas e que a estrutura do local receba o menor dano possível.

Agora que você já sabe tudo sobre porta corta-fogo e a importância da sua certificação acesse nosso site e conheça as Portas Corta-Fogo certificadas que irão garantir a segurança de qualquer ambiente.

Perguntas Frequentes

1. Qual o material da Porta Corta-Fogo?

O material da Porta Corta-Fogo é chapa de aço galvanizada e manta de fibra cerâmica.

2. O que é a Porta Corta-Fogo P90?

A Porta Corta-Fogo P90 possui  90 minutos de resistência ao fogo.

3. Como é feita a Porta Corta-Fogo?

A Porta Corta-Fogo é feita com chapa galvanizada cortada e dobrada e montagem com núcleo de manta cerâmica.

 

.